• Editora Literal

Dinheiro... Um amor bandido?

Atualizado: 25 de Mar de 2020


Ivonildo Teixeira


“Minha obsessão pelo dinheiro fez-me afastar de Deus.”

Quando as pessoas são questionadas se gostariam de ter uma boa vida financeira ou uma vida totalmente desvinculada do dinheiro, a resposta quase que imediata da maioria é que gostaria de viver uma vida regalada, com muito dinheiro para realizar os seus tão numerosos sonhos.

A Bíblia nunca escondeu de ninguém o investimento que o próprio Deus fez em muitos homens na história com glórias e riquezas! Por exemplo: Abraão, Isaque, Jacó e Salomão, o rei mais rico que o mundo conheceu, filho de um homem também muito próspero, o rei Davi.

Jesus, ao se deparar com um jovem muito rico (Mc 10.17-22), diagnosticou alguns males que se levantam na vida daqueles que fazem do dinheiro um deus, um objeto de adoração no altar do seu coração.

O personagem citado nesse encontro com Jesus é alguém com muitas qualidades:

rico, respeitoso, religioso, requintado no falar, reverente e reflexivo quanto a vida futura!

Todavia, aquele jovem também tinha seus defeitos, como eu e você: avarento, idólatra, apegado ao dinheiro, um amante da prata, desobediente e errante na maior decisão da sua vida.

A obsessão daquele jovem rico era tão grande que em fração de segundos uma nuvem o cega de maneira tal que ele opta pelo mais “conveniente”; ficar com o dinheiro, com o que era aparentemente valioso, pelo caminho mais fácil para o encontro da “felicidade”.

O incrível é que ele toma alguns passos que poderiam levá-lo ao topo, ao clímax do verdadeiro prazer.

Acompanhemos os passos daquele jovem:

I - Ele procura a pessoa certa. Vai até Jesus e diz: “Bom Mestre...! (v. 17).

O Mestre dos mestres, o Rei dos reis, o Senhor dos senhores!


II - Ele faz a pergunta certa: “Que devo fazer para herdar a vida eterna?” (v. 17).

Seu questionamento é legítimo. Ele está preocupado com o seu futuro! Tem um lampejo escatológico!

III - Ele procura a pessoa certa, faz uma pergunta certa, na hora certa.

Jesus é procurado e questionado por aquele jovem na hora em que a oportunidade surgiu. Ele foi inteligente e não perdeu a oportunidade.

IV - Ele procura a pessoa certa, faz a pergunta certa, na hora certa e tem a resposta certa (v. 21).

A Verdade abre a sua boca e dá àquele jovem a chance de pensar, decidir e mudar a sua história. Os portões da vida foram escancarados diante dele. A bola da vez era somente dele!

V - Ele procura a pessoa certa, faz a pergunta certa, na hora certa e obtém a resposta certa, porém toma a decisão errada (v. 22)!

Por fim, Jesus, amando-o, olhou nos seus olhos e disse: “Uma coisa te falta: Vai, vende tudo o que tens, dá-o aos pobres, depois, vem e segue-me”. Ele se entristece ao ouvir tais palavras de Jesus, vira as costas e segue seu caminho. O dinheiro falou mais alto! O coração daquele jovem era eivado de um “amor bandido” e traiçoeiro pelo vil metal. Ele prefere o dinheiro, os bens terrenos, por isso dá as costas para o Autor da vida. Sem dúvida, quem dá como oferta as costas para Jesus dá de frente com o diabo, com o usurpador, com aquele que só tem uma única e maior recompensa para os seus seguidores: o inferno!

Nesses dias em que o planeta geme diante de tamanha parafernália que envolve as finanças, em que uma multidão frenética corre loucamente atrás do dinheiro, há uma pergunta que não quer calar: onde está o seu coração? No dinheiro ou no dono do ouro e da prata?

Procure Jesus, a pessoa certa, ouça a resposta certa, porém tome a decisão certa: a de ouvir e obedecer a sua voz! ▣



Ivonildo Teixeira é fundador e pastor emérito da Igreja do Nazareno do Estado do Espírito Santo, autor de 39 livros publicados e palestrante na área de finanças e liderança. É casado com Mônica Teixeira e pai de Samanta e Talita.

#Bíblia #Textossagrados #Religião #Justiça #Ideologiadegênero #Escrituras #Família #Ética #Coaching #Intercessão

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo