• Editora Literal

Esperança na liderança

Atualizado: 25 de Mar de 2020


Márcio Matta


Antes de iniciar os seminários de liderança cristã (SELIC) na igreja da qual sou membro há 41 anos, realizei uma pesquisa com quase todos os obreiros do campo para obter o feeling para um trabalho bem sucedido. O resultado da pesquisa mostrou-me um enorme interesse para o aprimoramento do exercício da nobre função de liderar.

Assim, mais de 1.000 participantes desfrutaram dos bons resultados dos quatro seminários ali realizados.

O que se podia, então, esperar de cada um dos líderes, após um seminário desse? A esperança de uma situação diária melhor, de soluções de problemas persistentes e de um novo cenário além da nossa visão poderia começar a existir na vida dos seus liderados?

Bem, podemos assegurar que, mesmo com todo treinamento obtido, com toda a capacitação divina através do Espírito Santo, não nos é facultado o direito de considerarmos a nós mesmos, como líderes, a esperança por dias melhores. Por sermos líderes humanos, somos falhos e totalmente dependentes de Deus.

Como líderes, procuramos exercer nossa liderança com objetivos definidos e alcançáveis para que nossos liderados não se frustrem. Entretanto, somos limitados e não podemos nem devemos arcar com missões notadamente impossíveis aos olhos humanos.

No Reino de Deus aqui na terra, a liderança é uma capacitação genuinamente dada por Deus, para todo aquele que é chamado e se dispõe, de coração, a conduzir um grupo em ações que o levem atingir alvos em benefício da Igreja de Cristo como um todo. É exercida totalmente debaixo da orientação divina. Não tem como ser diferente disso.

Todos nós, indistintamente, temos uma liderança imediata que nos orienta, de uma forma ou de outra, e a quem devemos nos reportar. Entretanto, precisamos reconhecer que a liderança a quem devemos depositar a nossa real esperança é aquela do salmista Davi quando disse: “... SENHOR, ... A minha esperança está em ti.” (Sl 39.7).

Muitas pessoas, principalmente em época de eleição tendem facilmente a colocar sua esperança em candidatos que se despontam como o “salvador da pátria”. A nossa esperança está intrinsecamente ligada à nossa fé. Seu alicerce está firmado na Rocha - Jesus Cristo e na Palavra de Deus. O apóstolo Pedro, exortando-nos à santidade, declara que Deus ressuscitou o nosso Salvador para que nossa fé e “... esperança estivessem em Deus.” (1Pe 1.21).

Aqueles que têm sua esperança no homem ou no dinheiro ou em suas próprias forças entrarão em profunda decepção ao descobrirem que enganaram-se a si mesmos. Nossa liderança maior, Cristo - nosso Capitão, nos satisfaz em todas as nossas necessidades. Como diz o Salmo 23.1 “O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará.” Porém, para termos o direito de chamar o Senhor de Pastor, precisamos, antes, tornarmo-nos ovelhas; mas aí, seria outro assunto a tratar.

O Senhor é a nossa liderança maior. Depositemos toda nossa esperança nEle e somente nEle! ▣



MÁRCIO MATTA é presidente da AETAL (Associação Evangélica de Educação Teológica da América Latina)

#Bíblia #Textossagrados #Religião #Justiça #Ideologiadegênero #Escrituras #Família #Ética #Coaching #Intercessão #IgrejanaEraDigital #Digital #Igreja #literatura

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo